Ana Luísa Amaral

Biography

Ana Luísa AmaralAna Luísa Amaral was born in Lisbon in 1956. She is Associate Professor at the Department of Anglo-American Studies at the University of Porto. She holds a PhD on American Poetry (Emily Dickinson) and has developed her research (with publications in Portugal and abroad) around Comparative Poetics and Feminist Studies. She is co-author, with Ana Gabriela Macedo, of the Dicionário da Crítica Feminista (Afrontamento, 2005) and founder member of the Institute for Comparative Literature Margarida Losa, where she is currently on its Board of Directors. She also translated several poets, such as Emily Dickinson, Eunice de Souza and John Updike.

She has read her poetry in several countries, such as Brazil, France, the United States, Germany, England, Ireland, Spain, Russia, Romania, Poland, Russia, Sweden, Holland, China, Colombia and Argentina. She is represented in numerous anthologies in different languages, among others Spanish, English, French, Italian, Dutch, German, Hungarian, and Bulgarian. Her work has been published in Brazil, Italy, Sweden, Venezuela, and France.

Based on her work, the theatre company Assédio staged two plays: O olhar diagonal das coisas and A história da Aranha Leopoldina.

In 2007, with the book A Génese do Amor, she was awarded the Correntes d’Escritas/Casino da Póvoa prize and in the same year the Giuseppe Acerbi prize, in Italy. In 2008 she was awarded the prize of APE (Grande Prémio da Associação Portuguesa de Escritores), for her book Entre Dois Rios e Outras Noites.

Ana Luísa Amaral and her daughter, Rita, live by the seaside, in Leça da Palmeira, with two cats, Kitty and Papoila, and a dog called Lili (Marlene).

Bibliography

Poetry

Minha Senhora de Quê (Fora do Texto, 1990; new ed. Quetzal, 1999)

Coisas de Partir (Fora do Texto, 1993; new ed. Gótica, 2001)

Epopeias (Fora do Texto, 1994)

E Muitos Os Caminhos (Poetas de Letras, 1995)

Às Vezes o Paraíso (Quetzal, 1998; new ed. 2000)

Images [Transl. Catherine Dumas] (Pau: Editions Vallongues, 2000)

Imagens (Campo das Letras, 2000)

Imagias (Gótica, 2002)

A Arte de ser Tigre (Gótica, 2003)

A Génese do Amor (Campo das Letras, 2005)

Poesia Reunida (1990-2005) (Quási, 2005;  new ed. Dom Quixote [forthcoming])

Entre Dois Rios e Outras Noites (Campo das Letras, 2007)

Se Fosse um Intervalo (Dom Quixote, 2009)

Voze, (Lisbon: Dom Quixote, 2011)  

Prospero morreu (Lisbon: Editorial Caminho, 2011)

Children’s Books

Gaspar, o Dedo Diferente e Outras Histórias (Campo das Letras, 1999)

A História da Aranha Leopoldina (Porto: Campo das Letras, 2000 [adapted for TV and theatre]; Civilização [with audio book] (Porto: 2010)

Articles

‘Namoro na aldeia’ / Ana Luísa Amaral  (Revista Colóquio/Letras. Poesia, No. 107, January 1989, p. 51)

A Cena do Ódio de Almada-Negreiros e The Waste Land de T. S. Eliot’ / Ana Luísa Amaral (Revista Colóquio/Letras. Ensaio, No. 113/114, January 1990, pp. 145-156)

‘Recensão crítica a O Último Amante, de Teresa Veiga’  / Ana Luísa Amaral (Revista Colóquio/Letras. Recensões Críticas, No. 120, 1991, pp. 217-218)

‘Epopeia de luz’ / Ana Luísa Amaral (Revista Colóquio/Letras. Poesia, No. 131, January 1994, pp. 151-154)

‘Recensão crítica a A Casa do Fim de José Riço Direitinho’  / Ana Luísa Amaral (Revista Colóquio/Letras. Recensões Críticas, No. 132/133, 1994, pp. 249-250)

‘Recensão crítica a 'Nunca nada de ninguém de Luísa Costa Gomes’  / Ana Luísa Amaral ( Revista Colóquio/Letras. Recensões Críticas, No. 135/136, January 1995, pp. 257-258)

‘Memórias, criação e invenção : a presença de Sylvia Plath em Birthday Letters de Ted Hughes’ / Ana Luísa Amaral (Revista Colóquio/Letras. Notas e Comentários, No. 147/148, January 1998, pp. 311-316)

‘A marca da excisão na poesia de Eduardo Pitta [crítica a 'Marcas de Água', de Eduardo Pitta’  / Ana Luísa Amaral (Revista Colóquio/Letras. Notas e Comentários, No. 155/156, January 2000, pp. 378-380)

‘Recensão crítica a Caderno de Memórias Coloniais de Isabela Figueiredo’  / Ana Luísa Amaral (Revista Colóquio/Letras. Recensões Críticas, No 175, September 2010, pp. 187-190)

‘Nocturnal, desatraindo o som;  Da solidão da luz em descrição de olhar; Quase soneto e de amor; Estados da matéria‘ / Ana Luísa Amaral. (Revista Colóquio/Letras. Poesia, No. 176, January 2011, pp. 184-187)

‘Se Fosse Um Intervalo’  / Ana Luísa Amaral. [Lisbon: Dom Quixote, 2009]: Recenseado por Maria Aparecida Junqueira (Revista Colóquio/Letras. Recensões Críticas, No. 174, May 2010, pp. 197-201)

‘Inversos. Poesia (1990-2010)’ / Ana Luísa Amaral [Lisbon: Dom Quixote, 2010]: Recenseado por Maria Irene Ramalho (Revista Colóquio/Letras. Notas e Comentários, No. 177, May 2011, pp. 191-199)

 

Criticism

Botelho, Fernanda: ‘Sem espartilhos formais [crítica a 'Epopeias' de Ana Luísa Amaral; 'E Muitos os Caminhos' de Ana Luísa Amaral (Revista Colóquio/Letras. Livros sobre a Mesa, 155/156, January, 2000), p. 399]

Coelho, Eduardo Prado: ‘Aceitar as imagens como são’ (Público, November 2000), p. 8)

Coelho, Joaquim-Francisco: ‘Poesia no paraíso [crítica a ‘Às vezes o paraíso’ de Ana Luísa Amaral]’ (Colóquio/Letras, 155/156, (January 2000), p. 399)

Cruz, Liberto: ‘Recensão crítica a Coisas de Partir de Ana Luísa Amaral’ (Revista Colóquio/Letras. Recensões Críticas, No.131, January 1994, p. 223-224)

Diogo, Américo António Lindeza: Recensão Crítica a Imagens (Colóquio/Letras, 159-160, (January-June 2002), pp. 451-455)

—: ‘Poesia e Justificação sobre Às Vezes o Paraíso de Ana Luísa Amaral’ (Ciberkiosk. Letras,  Artes, Espectáculos, Sociedade, 1998)

Dumas, Catherine: ‘L’écho comme pratique allusive: pour une poétique de l’entre-deux dans la poésie de Ana Luísa Amaral’ in L’Allusion en Poesie, Études Reunies par Jacques Lajarrige et Christian Moucelet [Centre de Recherches sur les littératures modernes et contemporaines] (Clermont-Ferrand: Presses Universitaires Blaise Pascal, pp. 421-432) 

Klobucka, Anna: O Formato Mulher: A Emergencia da Autoria Feminina na Poesia Portuguesa (Coimbra: Angelus Novos, 2009)

Junqueira, Maria Aparecida: ‘Recensão crítica a “Se Fosse Um Intervalo”’ de Ana Luísa Amaral’ (Revista Colóquio/Letras. Recensões Críticas, No. 174, May 2010, p. 197-201)

Lima, Isabel Pires de: ‘Concertos/desconsertos: arte poética e busca do sujeito na poesia de Ana Luísa Amaral’ [Identidades no Feminino] (Cadernos de Literatura Comparada, 2001/2, pp. 49-61)

Lopes, Silvina Rodrigues: ‘A proximidade do caos’ (Público, May 1993), p. 7)

Louro, Teresa: 'Ana Luísa Amaral’s "The Genealogy of Love"' (unpublished article: http://sas-space.sas.ac.uk/3067/)

Magalhães, Isabel Allegro de: ‘O gesto, e não as mãos”. A figuração do feminino na obra de Fernando Pessoa: uma gramática da mulher evanescente’ (Revista Colóquio/Letras. Ensaio, No. 140/141, 1996, p. 17-47)

Martelo, Rosa Maria: ‘Ana Luísa Amaral – Entre dois rios e outras noites’ [Colóquio/Letras, Fundação Calouste Gulbenkian]  (Recensões Críticas, May 2008)

—: ‘Esplendores de nada, ou a nostalgia do sublime’ (Relâmpago, 18, 4, 2006, pp. 191-6)

—: ‘Receita contra a melancolia’ (Jornal de Letras, Artes e Ideias, January1996, pp. 22-23)

Morão, Paula: ‘Lendo A génese do Amor, de Ana Luísa Amaral, Introd. a Ana Luísa Amaral, A génese do amor’ (Rio de Janeiro: Gryphus, 2007, pp. vii-xv)

Morna, Fátima Freitas: ‘O Excesso mais Perfeito’ in Século de Ouro. Antologia Crítica da Poesia Portuguesa do Século XX, org. de Osvaldo Manuel Silvestre e Pedro Serra, (Braga/Coimbra/Lisbon: Angelus Novus & Cotovia, 2002, pp. 194-201)

Pimental, Diana: ‘Recensão crítica a “A Génese do Amor” de Ana Luísa Amaral’ (Revista Colóquio/Letras. Recensões Críticas, No. 173, January 2010, p. 201-204)

Pos, Arie: ‘Armada’ (Tijddschrift voor wereldliteratur, 24, December 2001, pp. 17-19)

Ramalho, Maria Irene: ‘Versos inversos’ (Revista Colóquio/Letras. Notas e Comentários, No.177, May 2011, p. 191-199)

Santos, Maria Irene Ramalho de Sousa: ‘Coisas Exatas: A propósito de Imagias de Ana Luísa Amaral’ (Scripta – Literatura, Belo Horizonte, 6, 12, 2003, pp. 258-265)

—: ‘Prefácio, Dez Anos Depois’ e ‘Duplo Posfácio’ in Minha Senhora de Quê, (Lisbon: Quetzal, 1999, pp. 7-14 and pp. 95-98)

—:  ‘Paraíso de Poeta - Ana Luísa Amaral de Minha Senhora de Quê a Às Vezes o Paraíso’ (Tabacaria, 6, 1998, pp. 63-69)

 —: ‘O sexo dos poetas: a propósito de uma nova voz na poesia portuguesa’ in Via Latina (Coimbra: AAC, 1989, pp. 122-124)

Silvestre, Osvaldo Manuel: ‘Imagens (d)e bastidores, ou ‘as labaredas calmas’ do revisionismo de Ana Luísa Amaral’ in Inimigo Rumor, orgs. Carlito Azevedo, Américo Lindeza Diogo, (Rio de Janeiro/Lisbon: Cotovia/Viveiros de Castro Editora, 11, 2001, pp. 63-70)

—: ‘Recordações da Casa Amarela – A Poesia de Ana Luísa Amaral’ (Relâmpago, 3, 10, 1998, pp. 37-57)

Compiled by Teresa Louro (Porto)

 

Online Texts

A Poem from Poesia Reunida: 1990-2005
(Vila Nova de Famalicão: Quasi Edições, 2005)
Translated by Teresa Louro